Cheirando Café


quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Vôo Lunar

Companhia da noite
inspiração pra tantas canções.
Delírio meu.

Esqueço de tudo enquanto a brisa me abraça
Olho pro céu e espelhos de luz e devaneios voejam sem pressa,
tenho pra mim que essa pedra de luz é um portal pra fantasia.

- lagrima sólida ... tu é mesmo misteriosa? Quem disse? O que me diz?

- te debruças em meu colo e bebes um pouco de luz, criatura.

Sexo e fogo, viciante,
tempestade viva na janela
Cinza, clara, infinda, talvez amarela.

- Calma ... ali via ai, espero ou des espero, está ai?

...branquinha, em - outros, noutros, sem, contra - tempos
tu arde no intenso por causa do sol e enquanto dorme sente calor
tu arde do raso ao infinito escuro à penumbra da dor.

Tu é luz ... eterno desejo
Mergulha no mais profundo abismo do amor
e lá de cima, com a ponta dos dedos
segura cuidadosamente o medo de se jogar
de ir embora
num doce
                                                          voar.

- o que sobra, embora não veja, são sombras de silêncio.

.
.
.

2 comentários:

Caio Castelo disse...

que lindo, cara. acho que foi esse eclipse lunar que aconteceu dia desses que fez todo mundo sair escrevendo sobre luas e eclipses ultimamente, né. bonito, gostei. Segura cuidadosamente o medo de se jogar.

Gisa Carvalho disse...

Concordo com o Caio: segura cuidadosamente o medo de se jogar. E se joga. As tempestades assustam, mas sem elas, não valorizaríamos as brisas suaves.